Pessanha perde para ucraniano e vaga para Londres fica com Camilo; Portela é prata

Hugo Pessanha foi derrotado pelo ucraniano Vadym Synyavcsky neste domingo, no Gran Prix de Dusseldorf, na Alemanha, e está fora dos Jogos Olímpicos de Londres-2012.
Com o resultado, o judoca Tiago Camilo fica com a vaga brasileira na categoria até 90 kg.
Pessanha perdeu em sua segunda luta no dia, depois de ter vencido Andrei Kazusionak, de Belarus. Diante do adversário da Ucrânia, o brasileiro sofreu um ippon com pouco mais de três minutos de luta. Synyavsky é o 25º colocado no ranking da Federação Internacional de Judô. O brasileiro é o sétimo na lista da FIJ.
Desde 2009, o ranking é critério de escolha para os Jogos Olímpicos. No masculino, os 22 primeiros atletas se classificam para Londres-2012, mas cada país pode ter apenas um representante.
Apesar de estar atualmente na frente de Camilo no ranking, Pessanha perderá pontos até os Jogos Olímpicos. Isso porque pontos conquistados entre 13 e 24 meses antes dos Jogos valem apenas 50%. Até julho, portanto, o judoca ficará atrás do concorrente pela vaga.
Hugo Pessanha e Tiago Camilo disputavam a vaga na categoria até 90 kg. Como ambos estabeleceram que não irão competir no Pan-Americano de Montreal, que acontece em abril, o Grand Prix na cidade alemã determinaria qual dos dois teria a vaga para os Jogos.
Camilo não competiu em Dusseldorf porque lesionou o ombro direito no Grand Slam de Paris, no início deste mês.

MARIA PORTELA FICA COM A MEDALHA DE PRATA

Também neste domingo, na categoria até 70 kg da chave feminina, Maria Portela ficou com a medalha de prata no Grand Slam de Dusseldorf. Na decisão, a brasileira acabou perdendo para a eslovena Rasa Sraka.

Ao todo, Maria Portela lutou cinco vezes no Grand Prix alemão. Na primeira luta, a brasileira superou a equatoriana Vanessa Chala, em seguida superou a suíça Juliane Robra e depois a alemã Laura Vargas Koch.

Na semifinal, Maria Portela venceu a japonesa Yoriko Kunihara, quarta colocada no ranking mundial, por ippon. A brasileira começou a luta mostrando mais agressividade que a rival e encaixou um contragolpe com pouco mais de um minuto de luta, levando a adversária ao chão.

Os juízes ainda se reuniram para decidir se o golpe havia sido mesmo ippon, mas acabaram confirmando a marcação para dar a vitória à brasileira.

Na decisão contra Sraka, a luta começou amarrada, com as judocas brigando bastante para encaixar a pegada no quimono da adversária. Pouco agressiva, a brasileira acabou punida por falta de combatividade, e a punição fez diferença no fim, já que foi esse ponto que deu a vitória à eslovena.

FONTE: WWW.UOL.COM.BR

0 Comentários