A importancia dos tecnicos.


Os 106 treinadores de atletismo, ginástica artística e natação da turma inaugural da Academia Brasileira de Treinadores (ABT) se reuniram nesta quarta-feira, dia 20, no Rio de Janeiro, para o segundo módulo presencial do curso, iniciado em outubro de 2012. As atividades acontecem no Parque Aquático Maria Lenk até o sábado, dia 23. O primeiro dia foi reservado a palestras de especialistas. A treinadora da Seleção Brasileira feminina de judô, Rosicleia Campos; o supervisor das Seleções Brasileiras de vôlei de praia; Jorge Barros; e o diretor da XP Esporte, Pedro Boesel, colocaram em discussão temas relacionados à formação de profissionais no esporte.

No comando da Seleção Brasileira feminina de judô desde 2005, Rosicleia Campos apresentou aos participantes da ABT sua trajetória como atleta e técnica, além dos desafios que superou para levar o judô feminino ao topo do pódio olímpico. “A ABT é uma grande realização do Comitê Olímpico Brasileiro, um passo importantíssimo para o nosso esporte”, disse Rosicleia. “Sediaremos os Jogos Olímpicos e nada mais justo do que oferecer, de forma ampla, a treinadores do Brasil inteiro, contato com a teoria e a prática. O fundamental é a troca de experiência, o convívio, ouvir o que outro treinador está fazendo. Isso abre um leque de ideias e as discussões ficam muito férteis. Essa gama de pessoas reunidas faz com que todo mudo cresça”, completou a judoca, em licença da seleção feminina de judô por estar no quinto mês de gestação de um casal de gêmeos.

Além das palestras desta quarta, o segundo módulo presencial será dedicado às apresentações dos relatórios dos treinadores sobre seus períodos de estágio em organizações esportivas ou educacionais. Estes relatórios serão avaliados por uma banca formada por especialistas de todo o Brasil, tanto da área do esporte, quanto da área acadêmica.

“Chegamos ao segundo módulo presencial da ABT com a certeza de que já aprendemos muito neste período. Temos desafios imensos e uma montanha de desejos inéditos para escalar. A etapa de estágios foi bastante proveitosa. A capacitação do treinador brasileiro é um dos pilares do COB para alcançarmos nossos objetivos”, afirmou o superintendente do IOB, Augusto Heleno Pereira.

Entre os 106 profissionais que participam desta edição inicial da ABT estão Marcos Goto, técnico do campeão olímpico Arthur Zanetti, da ginástica artística; Georgette Vidor, coordenadora da Confederação Brasileira de Ginástica; Mosiah Rodrigues, ex-atleta campeão pan-americano de ginástica artística; Fernando Vanzella, técnico da seleção brasileira feminina de natação; Arilson Silva, treinador de do finalista olímpico Bruno Fratus e do medalhista mundial Felipe França; Arnaldo Oliveira, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos Atlanta 96 no revezamento 4x100m, entre outros.

“A experiência de participar da ABT está sendo bem válida. Sempre soma adquirir novos conhecimentos. Nós relembramos várias coisas, fazemos autocrítica do trabalho. Esta é a parte que mais me interessa. Às vezes, nos acostumamos a fazer algumas coisas e o curso está me possibilitando refletir sobre alguns conceitos. Além disso, a interação e a troca de experiências com os outros participantes são muito legais. O curso vale muito à pena. Ideias, modalidades e metodologias diferentes. O mundo de cada modalidade é muito fechado. Quando temos a possibilidade de conhecer um pouco mais da realidade do outro, fica muito enriquecedor. Para o treinador brasileiro, é uma experiência única. Não existe um curso que envolva treinadores de alto nível de modalidades diferentes num mesmo ambiente, falando a mesma linguagem”, destacou Marcos Goto, treinador do campeão olímpico Arthur Zanetti, da ginástica artística.

A Academia Brasileira de Treinadores é uma realização do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), através do seu departamento de educação, o Instituto Olímpico Brasileiro (IOB). O objetivo da ABT é complementar, por meio de atividades educacionais, a formação profissional de treinadores do esporte de alto rendimento, e, desse modo, contribuir de forma relevante para o desenvolvimento do esporte brasileiro.

Os cursos da ABT têm duração de dois anos e o IOB pretende abrir turmas anualmente sempre para três ou quatro modalidades olímpicas diferentes. Até 2018, a ABT pretende formar 432 técnicos em 14 modalidades. Para chegarem à ABT, os treinadores passaram por um processo seletivo dividido por três etapas: inscrição, prova escrita e análise de currículos. Cerca de 600 profissionais se inscreveram para o processo seletivo.

O curso é desenvolvido através de oito módulos presenciais, outros três à distância e mais três módulos de estágio, voltados para duas áreas: Desenvolvimento Esportivo e Aperfeiçoamento Esportivo. Cada um dos três módulos de estágio tem duração média de uma semana. O primeiro é nacional, em uma organização esportiva ou educacional do Brasil, e os dois últimos são internacionais, com treinadores de referência mundial, que virão ao Brasil passar suas experiências aos alunos da ABT.

O aluno/treinador formado pela ABT receberá o brevê de que o denominará Treinador Nacional em Esporte de Alto Rendimento, na área de Desenvolvimento Esportivo, ou Aperfeiçoamento Esportivo, dentro da classificação que lhe for concebida, de acordo com os seus resultados esportivos.

O IOB - O Instituto Olímpico Brasileiro é o departamento de educação do COB para o esporte olímpico. O seu objetivo maior é gerar e difundir conhecimento ao promover uma formação profissional de alta qualidade por meio de programas de capacitação e desenvolvimento. Em cursos, seminários, congressos e demais eventos acadêmicos e científicos, o IOB pretende contribuir de forma significativa para o amadurecimento do esporte nacional de alto rendimento.

Por: Imprensa CBJ

Compartilhar no Google Plus

About Ajuxx - Judô XiqueXique

0 comentários:

Postar um comentário