Brasil recebe equipes europeias para treino.


Brasil recebe equipes de França e Holanda para treino em São Paulo

Atividade acontecerá no Projeto Futuro, no Ibirapuera, entre 7 e 17 de março.



Três dos mais tradicionais países no judô vão se encontrar no tatame do Projeto Futuro, no Complexo Esportivo do Ibirapuera, São Paulo para treinamento de campo entre os dias 7 e 17 de março. A equipe principal do Brasil, com os 43 atletas selecionados, recebe os times principais de França e Holanda, duas grandes forças do continente europeu. 

“As equipes estrangeiras vêm com força máxima por conta da qualidade e da quantidade de treinos que podem ter no Brasil. O nosso clima também ajuda muito. Há também a oportunidade de conviver com um grande número de atletas brasileiros o que é importante para eles especialmente no ano em que o Mundial será disputado na nossa casa”, afirmou Ney Wilson, coordenador técnico da seleção brasileira sênior.

Os principais destaques estrangeiros são Edith Bosch, medalhista nas três últimos Jogos Olímpicos e campeã mundial em 2005; Grévise Emane, bicampeã mundial; os campeões mundiais Audrey Tcheumeo, Marhinde Verkerk e Guillaume Elmont, além de Henk Grol, Priscilla Gneto e Automne Pavia, todos medalhistas em Londres e Dex Elmont, prata no Mundial de 2011. O Brasil estará com seus principais nomes, incluindo a campeã olímpica Sarah Menezes; os medalhistas nos Jogos de Londres e Pequim Ketleyn Quadros, Leandro Guilheiro (medalhista também em Atenas), Mayra Aguiar, Felipe Kitadai e Rafael Silva, além dos campeões mundiais Tiago Camilo (também medalhista em Sydney e Pequim) e Luciano Correa. 

“Eu estou voltando a treinar agora depois de uma lesão e acho que esse treinamento vai ser muito importante para mim porque vou poder lutar com caras fortes, de escolas importantes do judô mundial. Para o Brasil de uma maneira em geral vai ser interessante porque a França, por exemplo, vai trazer nomes que estão querendo ganhar espaço no ranking mundial neste ciclo olímpico. São atletas que já estão tendo participações importantes mas que ainda tem muito a crescer e vão rodar o mundo para ganhar experiência. A forma individualizada como a França trabalha a seleção deles é um exemplo para nós”, afirmou Leandro Guilheiro.

Os treinos acontecem em dois períodos, das nove da manhã ao meio-dia e meia e de quatro e meia da tarde às nove da noite, separados por gênero. Para o presidente da Confederação Brasileira de Judô, a presença de França e Holanda num treinamento no Brasil confirma a importância do país no cenário mundial.

“O Brasil hoje está no roteiro de treinos internacionais de alto rendimento como estão a Rússia, França e Japão, por exemplo. Isso serve como referência, como parâmetro de como o judô nacional está sendo visto diante dos principais adversários do mundo”, concluiu.


Autor: Assessoria de Imprensa CBJ

0 Comentários