O kodansha consciente

O kodansha consciente


foto site http://febaju.com.br

Na época do inicio de minha atuação como competidor, por volta dos 16 anos, ver ou praticar com um Kodansha era bastante difícil, senão impossível. Recuando no tempo rememoro saudoso, salvo engano, ter visto Kihara sensei e Fukaya sensei, uma ou duas vezes usando a garbosa faixa coral e branca. Tinha conhecimento de que era uma graduação superior e que só era atribuída àqueles que chegavam após o 5º grau da faixa preta. Pensava comigo; será que chegarei lá? Achava que não, era só para os que tinham grandes conhecimentos e os grandes campeões de Judô. 

Texto do Shihan Odair José
Em 1970 fui pela primeira vez ao Japão para estágio de estudo e treinamento durante um ano. Na primeira visita e já como hospede do Kodokan, fiquei extasiado, pois o diretor do departamento Internacional era um 9º dan, sua faixa era inteira vermelha! Era o Prof. Sumiyuki Kotani, ultimo aluno de Jigoro Kano ainda vivo, do qual tive a honra e o privilégio de ser aluno no curso de Nague no Kata. Foi nessa época que vi, pratiquei e tive aulas com muitos Kodansha, todos acima de 55 anos, que  diariamente praticavam  no dojo principal do Kodokan. Dentre eles estavam os professores: Ishiro Abe, Yoshimi Osawa e Toshiro Daigo todos hoje portadores do 10º dan. Lá morei e estudei durante 10 meses e como atleta competidor treinava na Universidade Waseda, onde por sinal, graduou-se o sensei, Chiaki Ishii, fortíssimo judoca desta conceituada Universidade.

No Conselho Nacional de Graduação da Confederação Brasileira de Judô recebemos indicações, pedidos e solicitações para análise e possível aprovação de graduações superiores e de Kodansha. Isso nos levou a pensar nessas graduações, no sentido de que, o graduado tendo vivido o Judô, teria e tem quase como obrigação continuar servindo o Judô, emprestando sua experiência e dedicação e não simplesmente se acomodando com a graduação de Kodansha, deixando de se atualizar, de orientar, participar e colaborar para o ensino e desenvolvimento e divulgação do Judo. Nessa linha de pensamento, apresentei uma definição de Kodansha para que pudéssemos analisar com critério as promoções ao 6º dan, ao mesmo tempo deixando claro para os candidatos o que é necessário para galgar esta importante graduação. Ponderei que hoje temos no Brasil e no mundo diversas referências de "professores Kodansha". Alguns já se despediram para a eternidade, mas nos deixaram não só ensinamentos técnicos, mas, também, exemplos de integridade física, moral e intelectual. Com esta argumentação apresentei então, uma definição cujo conteúdo mostra claramente o que seria, ou o que deve ser um Kodansha, que; após  aprovada pelos membros do Conselho definiu- se que:

"Kodansha é um título de alta graduação específico do Judô criado pelo  Kodokan. Deve ser outorgado àqueles que se empenharam no aprendizado, na prática contínua, na demonstração da sua eficiência técnica em competição e na devida dedicação, no ensino, no estudo e na pesquisa. Portanto, seu portador é depositário e responsável pela difusão dos princípios filosóficos e educacionais do Judô preconizados pelo Prof. Jigoro Kano."

Um dos principais ideais do Prof. Jigoro Kano era a formação integral do individuo, e para a graduação superior de seus alunos sempre teve a preocupação com a conduta moral, intelectual e a eficiência técnica. Seus primeiros graduados tiveram a missão de difundir e propagar para o mundo a importância desses aspectos na orientação dos praticantes. Fundamentado nos princípios filosóficos e educacionais do Prof. Jigoro Kano chegamos à conclusão que o candidato e o já graduado Kodansha têm como uma de suas primeiras obrigações ter conhecimento do currículo dos que já foram ou são hoje, 8º, 9º e 10º dan, não só no Brasil, mas também  no Japão e no mundo. Partindo deste raciocínio, sem dúvida, se faz necessário as comparações e um devido senso crítico, em sincera auto-análise sobre nossa própria graduação atual, aspectos primordiais para a "graduação consciente", sem soberba ou excessiva vaidade. O Kodansha, para usufruir de tal graduação não pode deixar de se preocupar com o conhecimento, e ignorar o estudo teórico, técnico e científico do Judô, o que vem a ser um imperdoável desmazelo e desleixo intelectual.

Não podemos perder as referências por supostos poderes ilusórios, ao deixar de lado e perder a estrutura do conjunto de ideais do Prof. Jigoro Kano, que nos dão consistência moral e filosófica. Em qualquer atividade necessitamos de um ideal que nos motive para as realizações: na profissão, no esporte, na política e na vida. O Judô nos ensina a alcançá-lo pelos seus conceitos de respeito, disciplina, amizade, fidelidade e confiança, o que em nenhuma outra modalidade está tão implícito, tanto na prática como na orientação filosófica.

Enfim, não podemos por simples vaidade, nos deixar influenciar pelo processo de destruição de valores que nos últimos tempos temos assistido em nossa sociedade, o que nos leva a enganos sobre o que é certo ou errado no comportamento das pessoas.


fonte: http://www.cbj.com.br/blogs/53/o-kodansha-consciente.html
Compartilhar no Google Plus

About Ajuxx - Judô XiqueXique

0 comentários:

Postar um comentário